7 vantagens que um bom plano de Cargos e Salários traz para a empresa

Na integra

Cargos e Salários

Por Tommaso Russo, consultor da Integração Escola de Negócios e professor do curso Formação de Analista em Cargos e Salários.

Time mais produtivo, aumentos justos, menos rotatividade e conflitos. Descubra como um bom programa de cargos e salários pode beneficiar a empresa.

A folha de pagamento constitui uma parcela importante dos custos da empresa e o empregador quer sempre reduzir esse valor. Porém, para atrair e reter mão de obra de qualidade é preciso oferecer salários adequados aos colaboradores. Mas como então fechar essa conta, garantindo uma coexistência que seja benéfica para ambas as partes? Com um bom plano de cargos e salários!

A participação do RH

Um bom plano de cargos e salários não só contribui para a saúde financeira da empresa, como ajuda a evitar conflitos e perda de pessoas fundamentais para o negócio. Para o sucesso do projeto, no entanto, é fundamental que a empresa incentive seu time de recursos humanos para desenvolver um bom plano.

Caso a companhia não tenha profissionais com a experiência e conhecimento necessários, deve-se buscar o apoio de fontes externas e engajar o RH no projeto desde o início. Assim, os profissionais dessa área poderão administrar e manter atualizada a proposta implantada.

O curso de Formação de Analista em Cargos e Salários da Integração Escola de Negócios ajuda profissionais de RH a, por exemplo, definir as atribuições, complexidades, níveis de responsabilidade e competências dos cargos da organização, fornecendo parâmetros para a contratação e o desenvolvimento das pessoas com os conhecimentos e perfis adequados às suas funções.  

 

7 vantagens e benefícios de um bom plano de Cargos e Salários

Abaixo, apontamos ótimos motivos pelos quais toda empresa deve elaborar e manter atualizado um bom plano de cargos e salários:

1- Equipes mais motivadas e engajadas

Um plano de cargos e salários bem elaborado evita que a remuneração esteja no centro das preocupações das pessoas e transmite uma sensação de justiça e transparência. Embora o salário, em si, não deva ser determinante no engajamento dos funcionários, a percepção de injustiça ou falta de critérios claros na determinação de quanto a organização paga às pessoas é um forte fator de desmotivação. Entre as consequências disso está a baixa produtividade e a perda de bons profissionais.

2- Percepção de que os aumentos são justos e por mérito

“Por que fulano foi promovido e não eu, que tenho mais tempo de casa?” ou, ainda, “só recebeu a promoção porque é amiguinho do chefe”. Um bom plano de cargos e salários reduz significativamente esse tipo de percepção, tão prejudicial para um ambiente de trabalho saudável e motivador.

É preciso estipular critérios uniformes para decisões sobre movimentação de pessoas, reduzindo iniciativas arbitrárias de gestores, o que, por consequência, evita aumentos injustificáveis de custos. Além disso, instituir programas robustos e transparentes de avaliação de desempenho – que dependem de um plano de cargos e salários implantado – fazem com que aumentos salariais por mérito sejam impessoais e meritocráticos.

3- Plano de carreira real, transparente e alcançável

Uma estrutura organizada de cargos e salários possibilita a adoção de planos de carreira. E é vital para o futuro da organização – e para as ambições dos colaboradores – que as trajetórias de evolução salarial e os pré-requisitos necessários em formação acadêmica, experiência, conhecimentos e competências para cada cargo sejam claras. Isso incentiva o desenvolvimento e aprendizagem de quem almeja posições hierarquicamente superiores.

4- Maior atração e retenção de talentos

Embora políticas de atração e retenção não se limitem apenas ao aspecto salarial, elas possuem peso considerável na decisão das pessoas entrarem e permanecerem na empresa. Por meio de dados do mercado, a organização consegue definir o nível de agressividade salarial que praticará para cada cargo, aumentando a competitividade na contratação e blindando talentos contra investidas dos concorrentes. 

5- Processo de recrutamento e seleção mais fácil e justo

Preencher vagas fica muito mais fácil quando as exigências necessárias para um cargo estão definidas. E, vale lembrar: o valor do salário oferecido é um dos requisitos que devem estar claro!

Dessa forma, a empresa oferece referência para quem tem pretensões salariais fora da realidade do mercado e também evita que a admissão de um novo colaborador cause desequilíbrios salariais entre outros membros da equipe.

Além disso, com tudo transparente, minimiza-se a possibilidade do recrutador ou da chefia selecionar um candidato por preferências pessoais.

6- Gestores mais objetivos

Orçamentos relativos à folha de pagamento ficam mais previsíveis e adequados quando se tem um bom plano de cargos e salários. Ou seja, os aumentos da folha devido a méritos e promoções são definidos em orçamento, controlando a evolução das despesas fixas com pessoal. Traduzindo: com uma tabela de cargos e salários, os gestores conseguem responder de forma objetiva a pedidos de aumentos não razoáveis. Logo, os colaboradores não criam expectativas que não podem ser atendidas pela organização.

7- Flexibilidade e rapidez para ajustes salariais adequados

O programa inclui o acompanhamento sistemático da evolução do mercado e da região onde a empresa está inserida, identificando mudanças relativas a cargos e especialidades técnicas. Isso indica escassez ou abundância de profissionais qualificados, por exemplo.

A partir daí, ajustes nos valores nominais dos salários podem ser rapidamente executados. A medida evita a perda de colaboradores valiosos e estabelece condições mais adequadas para recrutamento de novos profissionais.

Para saber mais sobre o tema, inscreva-se no curso Formação de Analista em Cargos e Salários. Em nosso Perfil no Instagram oferecemos diversas dicas para líderes.  

Cursosrelacionados

  • Formação de Analista em Cargos e Salários

    No Curso Analista em Cargos e Salários você terá um plano estruturado de cargos e salários possibilita manter o equilíbrio salarial interno e com o mercado e permite a gestão efetiva de custos com pessoas pela organização. Define as atribuições, complexidades, níveis de responsabilidade e competências dos cargos da organização, fornecendo parâmetros para a contratação e o desenvolvimento das pessoas com os conhecimentos e perfis adequados às suas funções. É fundamental para evitar a insatisfação, promover a meritocracia e servir como base para as políticas de desenvolvimento e carreira das pessoas.

    Saiba mais